Os golpes bancários são um problema recorrente na sociedade atual, que envolve a aplicação de artimanhas e fraudes para obter vantagens financeiras ilícitas. Eles podem causar sérios prejuízos às vítimas, tanto em termos financeiros quanto emocionais.
Neste texto, abordaremos os cinco principais golpes bancários aplicados no Brasil, como o “golpe do Pix”, a “saidinha” de banco, o “bilhete premiado”, o golpe do “falso funcionário do banco” e o golpe do empréstimo consignado. Além disso, falaremos sobre as leis aplicáveis a cada golpe e a importância de buscar um advogado criminalista em caso de envolvimento em algum tipo de fraude.

1. GOLPE DO PIX

Um dos golpes bancários mais recentes e recorrentes é o “golpe do Pix”.
O pix é um sistema de pagamentos instantâneos lançado pelo Banco Central do Brasil em 2020. Essa modalidade de transferência bancária se tornou muito popular devido à praticidade e agilidade que oferece aos usuários. No entanto, assim como em qualquer transação financeira, existem pessoas mal-intencionadas que utilizam o pix como forma de aplicar golpes. Neste texto, iremos abordar as principais modalidades de “golpe do pix”, incluindo o “WhatsApp” clonado, o atendimento bancário falso, o “bug do pix” e o QR code falso. Além disso, forneceremos dicas para que você possa se proteger e evitar cair nesses golpes.
Uma das modalidades mais comuns de golpe do pix é o “WhatsApp” clonado. Os golpistas se passam por conhecidos ou pessoas de confiança, solicitando dinheiro através do pix. Eles conseguem clonar o número de telefone da vítima e, assim, têm acesso a todas as suas conversas, incluindo os contatos. Para evitar cair nesse golpe, é importante sempre verificar com a pessoa pessoalmente ou através de outro canal de comunicação se ela realmente está solicitando o dinheiro.
Outro golpe do pix é o atendimento bancário falso, que é uma situação frequente envolve ligações ou mensagens de supostos atendentes bancários. Os golpistas se passam por funcionários de bancos e solicitam informações pessoais, como senhas e códigos de autenticação, alegando algum problema com a conta do usuário. É importante lembrar que os bancos nunca solicitam esse tipo de informação por telefone ou mensagem. Caso você receba esse tipo de contato, desconfie e entre em contato diretamente com o seu banco para verificar a veracidade das informações.

Por sua vez, o chamado “bug do pix” é uma modalidade de golpe na qual os criminosos exploram uma falha no sistema de transferência instantânea para realizar transferências em duplicidade. Eles entram em contato com a vítima, geralmente alegando terem enviado um valor errado e solicitam que a transferência seja devolvida. Porém, na verdade, eles utilizam a desculpa do erro para fazer com que a vítima faça uma nova transferência, desta vez para a conta deles. Para evitar cair nesse golpe, é importante sempre verificar as informações e pedir comprovantes de pagamento antes de realizar qualquer devolução ou transferência adicional.
O QR code falso é outra modalidade de golpe com o pix. Os golpistas criam QR codes com informações falsas ou códigos maliciosos e os compartilham com as vítimas. Ao escanear o QR code, a vítima realiza uma transferência para a conta dos golpistas. Para evitar esse tipo de golpe, é importante sempre verificar a origem do QR code, evitando escanear códigos compartilhados por desconhecidos ou provenientes de fontes não confiáveis.
Para não cair nos golpes do pix, algumas dicas importantes são:
– Desconfie de mensagens ou ligações solicitando informações sensíveis, como senhas e códigos de autenticação. Verifique sempre com o banco antes de fornecer qualquer informação.
– Nunca compartilhe o QR code de transferências com terceiros, especialmente desconhecidos.
– Utilize a autenticação em duas etapas em todos os seus aplicativos e contas online, incluindo o “WhatsApp”.
– Verifique sempre a veracidade das informações antes de realizar qualquer transferência ou devolução de valores.
– Mantenha-se atualizado sobre os principais golpes e compartilhe essas informações com amigos e familiares, para que todos possam se proteger.
É importante lembrar que nenhum banco pedirá informações confidenciais por telefone ou mensagem e que, em caso de suspeita, é fundamental entrar em contato direto com o banco para confirmar a veracidade das informações. A conscientização e a adoção de medidas de segurança são essenciais para evitar cair nos golpes do pix e garantir a segurança das suas transações financeiras.
É importante destacar que o “golpe do Pix” é considerado uma forma de estelionato, que um crime previsto no artigo 171 do Código Penal Brasileiro.

2. GOLPE DA SAIDINHA DE BANCO

Outro golpe comum no ambiente bancário é a “saidinha” de banco. Nesse caso, os criminosos observam as movimentações dos clientes em agências bancárias e, quando identificam uma vítima com uma quantia considerável de dinheiro, a abordam e usam táticas de intimidação (ameaça ou violência) ou distração para roubar o valor, podendo configurar os crimes de furto ou roubo (artigos 155 e 157 do Código Penal).

3. GOLPE DO BILHETE PREMIADO

O bilhete premiado é um golpe clássico, no qual os criminosos abordam pessoas na rua e afirmam ter ganhado uma grande quantia em dinheiro na loteria, mas alegam não poder resgatar o prêmio por algum motivo. Eles oferecem a suposta premiação a terceiros por um valor abaixo do prêmio prometido, alegando em alguns casos que não terá tempo para sacar o dinheiro no banco ou na casa lotérica. Entretanto, ao entregar o dinheiro, a vítima percebe que foi enganada, uma vez que não havia prêmio nenhum. Esse golpe é também é uma forma de estelionato.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS GOLPES BANCÁRIOS E FINANCEIROS  OCORRIDOS NO BRASIL? O QUE SÃO O “GOLPE DO PIX”, A “SAIDINHA DE BANCO”, O GOLPE DO “BILHETE PREMIADO” ENTRE OUTROS?
4. GOLPE DO FALSO FUNCIONÁRIO DE BANCO

O golpe do falso funcionário do banco envolve a ligação de pessoas que se passam por funcionários de instituições bancárias e pedem informações pessoais e sensíveis, como senhas e números de cartões, alegando a necessidade de atualizar cadastros ou oferecer algum tipo de benefício. Com essas informações, os criminosos conseguem acesso às contas bancárias e podem realizar saques e transferências fraudulentas. Esse golpe também se enquadra como estelionato.
Esse tipo de golpe também pode ser chamado de “phishing”, que é uma técnica utilizada pelos criminosos para obter informações confidenciais, como senhas, através do envio de emails ou mensagens falsas, que parecem ser de uma instituição financeira legítima. Por meio dessas mensagens, eles induzem a vítima a fornecer seus dados pessoais e bancários, podendo utilizar essas informações para realizar golpes financeiros.

5. GOLPE DO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO

Por fim, o golpe do empréstimo consignado se baseia na obtenção de empréstimos em nome de terceiros, geralmente pessoas idosas ou vulneráveis, sem o seu conhecimento ou autorização. Os golpistas utilizam documentos falsos e informações pessoais para conseguir o crédito consignado em benefício próprio, deixando a vítima com dívidas e problemas financeiros. Esse tipo de golpe pode ser enquadrado nos crimes de estelionato, falsificação de documentos e furto, dependendo das circunstâncias.

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

É fundamental lembrar que todos esses golpes são crimes previstos no Código Penal Brasileiro e em leis esparsas que tratam especificamente das fraudes bancárias. Em caso de envolvimento ou vítima de um golpe bancário, é essencial buscar a orientação e o auxílio de um advogado criminalista qualificado. Esse profissional possui o conhecimento jurídico necessário para identificar os elementos da infração penal, analisar as provas e adotar a melhor estratégia de defesa.
Além disso, em situações de golpes bancários, é importante registrar um boletim de ocorrência junto à polícia, fornecendo todas as informações e provas disponíveis. Isso contribui para a investigação dos crimes, possibilitando a identificação e responsabilização dos golpistas. Ademais, pode facilitar eventuais ações judiciais para reaver o prejuízo sofrido.
Em resumo, os golpes bancários são crimes que envolvem artimanhas e estratégias fraudulentas para obter vantagens financeiras ilícitas. Os cinco principais golpes mencionados aqui – golpe do Pix, saidinha de banco, bilhete premiado, golpe do falso funcionário do banco e golpe do empréstimo consignado – são delitos tipificados no Código Penal Brasileiro e em legislações esparsas. Em casos de envolvimento em golpes ou de ser vítima, é crucial buscar a assessoria de um advogado criminalista, que poderá auxiliar no processo legal e garantir que os direitos sejam devidamente respeitados.
Se você for vítima de qualquer um desses golpes, é fundamental procurar um advogado criminalista e também registrar um boletim de ocorrência para iniciar uma investigação.
Em conclusão, os golpes financeiros representam constantes desafios para a segurança financeira das pessoas. É importante que todos estejam atentos e informados sobre esses golpes, bem como busquem orientação de um advogado criminalista.